Menu fechado

Ficha Técnica

Produtora(s):Traveller’s Tales (PS2/XBox)
Eurocom (GC)
Publicadora(s):Universal Interactive Studios
Konami (PS2)
Plataforma(s):PlayStation 2, GameCube, Xbox (também disponível na Xbox Live)
Gênero(s):Plataforma
Modo(s):1 Jogador
Data(s) de Lançamento:Outubro de 2001 (EUA)
Novembro de 2001 (EU)
Dezembro de 2001 (JP)
Acessório(s):Memory Card/Cable Link entre GameCube e GameBoy Advance
 Título(s) Alternativo(s):Crash Bandicoot 4: Sakuretsu! Majin Pawā (JP)
wumpa

Detonado

wumpa

Dicas e Códigos

wumpa

Curiosidades

wumpa

Crash Blast

História

Após Cortex e Uka Uka perderem a batalha para Crash e Coco (no jogo Crash 3 do PSOne), os dois reuniram seus companheiros (N. Tropy, Dingodile, Tiny Tiger e N. Gin) para pensarem num novo plano para derrotar Crash, Coco e Aku Aku e, ainda, roubar as jóias e os cristais do poder, com o mesmo propósito de conquistar o mundo.

Neo Cortex esteve trabalhando numa super-arma desde que foi derrotado pela última vez. Seu nome é Crunch e, por coincidência ou não, é um marsupial ou bandicoot (como preferir). Uka Uka decidiu usá-lo para derrotar Crash. Os outros inimigos ajudaram no aumento do poder de Crunch. Para garantir poderes especiais para Crunch, Neo Cortex lembra Uka Uka de usar os Elementais Rok-Ko, Wa-Wa, Lo-Lo e Py-Ro, cada um representando um elemento da natureza (Rok-Ko = pedra; Wa-Wa = água; Lo-Lo = ar; Py-Ro = fogo).

Mas, Crash, Coco, Aku Aku, Polar e Pura estão prontos para qualquer problema que surja em N. Sanity Beach. Agora, nessa aventura, Coco participa mais das fases contando com movimentos próprios dela. Então, os malvados deverão tomar mais cuidado. A missão de nossos amigos é derrotar Crunch e os planos maléficos da turma de Neo Cortex.

Análise

por Paulo Moreira – revisado em 13/12/2016

Em 2001 é lançado o novo jogo de Crash Bandicoot, o primeiro do marsupial para os consoles da geração 128 bits. O jogo foi desenvolvido pela Traveller’s Tales e distribuído pela Universal Interactive Studios. O jogo ficou bom, mas os gráficos ficaram bem fracos para consoles poderosos como o PS2, Game Cube e XBox. Neo Cortex ficou muito esquisito… Quem tem o jogo sabe do que estou falando.

Crash Bandicoot: The Wrath Of Cortex foi duramente criticado por ser quase uma cópia do jogo Crash Bandicoot: Warped, devido à qualidade gráfica, os sons e a concepção que é metade 3D e metade 2D. Para se ter uma ideia, o site da GameSpot, o mais famoso dos States quando o assunto é videogame, deu um pouco mais de 6.5 na nota geral do jogo. Quer dizer que o jogo é ruim pelo fato de ser quase igual à versão original? Isso não é justificativa, pois o jogo é ótimo. É lógico que todos esperavam uma produção tipo Crash 3, mas era a primeira produção de um jogo do Crash Bandicoot para PlayStation 2…

Temos também que levar em conta o tempo que foi utilizado para o desenvolvimento do jogo – 1 ano apenas! A própria Universal Interactive estava produzindo o que seria o primeiro jogo de Crash exclusivo para PlayStation 2, mas depois de alguns problemas administrativos (a saída de Mark Cerny do projeto) acabou por atrasar o desenvolvimento do jogo – o projeto original de Mark Cerny foi engavetado. Para não cancelar a produção do jogo, a Universal Interactive teve que contratar às pressas uma empresa para iniciar o trabalho de produção e lançar o game. É aí que entra a Traveller’s Tales. Com esse problema, o jogo pôde ser lançado inicialmente para PlayStation 2, tendo versões posteriores lançadas para GameCube e XBox com algumas correções feitas. Sabe-se, no entanto, que a versão do jogo no GameCube ficou pior que nos demais consoles. A melhor versão do jogo foi a do Xbox que apresenta melhorias gráficas e mudanças no tempo de carregamento do jogo, que foi um grande problema no lançamento original do PS2. Mais tarde, surgiu uma versão Greatest Hits do jogo para PS2 com esse carregamento demorado corrigido.

Apesar dos problemas gráficos e no lançamento, o jogo apresenta muitas inovações com relação à jogabilidade e aos movimentos dos personagens. Crash pode pilotar, além de avião, um jipe e voar com um foguete nas costas. Coco pode pular, chutar e girar e possui fases próprias, um pedido feito por todos os fãs.

Som
9
Gráficos
8
Desafio
9
Jogabilidade
10
Geral
8

Nota do Site

8.8

Ótimo

Pontos Positivos

Pontos Negativos

Análises dos Visitantes do site

8.2
(13)

#13 Data: 05/04/2015 – Identificação: Fagner da Luz dos Santos

Som6“O primeiro jogo de Crash Bandicoot nos consoles 128 Bits me decepcionou neste ponto. Apesar de ter reutilizado vários efeitos sonoros dos jogos anteriores, o jogo deixa a desejar tanto na ambientação como nas músicas, que apesar de boas, fogem bastante do contexto e do estilo que a série sempre teve no PSone.”
Gráficos7“O jogo não usou nem metade da capacidade dos consoles. Isso poderia até ser perdoável pela época em que foi lançado e pouco se conhecia deles, se não fosse a representação estranha de alguns personagens. Apesar disso, a alma clássica foi mantida.”
Desafio9“Diferente do Crash Bandicoot: Warped, esse jogo conseguiu ter um desafio bem mais apurado mesmo com a presença dos poderes, além de uns Time Trials frustrantes em que você não descansa até conseguir a desejada Relíquia de Platina, apesar de que boa parte deles são muito fáceis. Nesse ponto a Traveller’s Tales foi muito bem.”
Jogabilidade8“Apesar de tentar manter a mesma jogabilidade dos clássicos, algumas partes ficaram defeituosas e não funcionam perfeitamente em determinados momentos. Mas enfim, o jogo no geral é bem bacana, não sei porque o pessoal encheu tanto o saco com ele, ele trouxe novidades como as fases Atlasphere, um poder novo, novos veículos, fases longas, entre outras coisas. Para um jogo feito às pressas em apenas 12 meses, ficou bom, apesar disso ter acarretado Loadings lentos.”
7.3

#12 Data: 31/08/2013 – Identificação: Mateus Favarin Costa

Som9“Bom.”
Gráficos6“Teve uma melhorada, mas não ficou bom para o console de 128 bits.”
Desafio10“Ficou bem mais difícil quando o Crash passou para o PS2/XBox.”
Jogabilidade4“O Crash ficou duro, lerdo, pula alto e demora para cair, o “slide” ficou horrível. Para melhorar tempos, só correndo; nenhuma técnica a mais.”
8.1

#11 Data: 07/07/2013 – Identificação: João Victor

Som8“Divertidos e, em outras horas, enjoativos.”
Gráficos4.5“Olha, dizendo a verdade, é HORRÍVEL! O Crash 3D até seria uma boa ideia, só que o problema é que ele buga. E o próprio Crunch também fica bugado…”
Desafio10“Bem básico e bem bom.”
Jogabilidade10“Não temos dificuldades.”
8.1

#10 Data: 06/02/2013 – Identificação: “Planeta Gamers”

Som8.5“Os sons são ótimos, mas não como os do Crash de PSOne.”
Gráficos7“Os gráficos estão muito ruins para um jogo de PS2.”
Desafio9.5“A dificuldade está boa e ainda tem o sistema de coletar Gemas e relíquias.”
Jogabilidade5“Horrível! O personagem parece muito duro e meio lerdo.”
7.5

#9Data: 11/12/2012 – Identificação: Geovanni Bruno

Som9“Os sons são muito legais.”
Gráficos7“São muitos ruins para o PS2, GC e Xbox, se fosse pelo menos o PS1.”
Desafio10“E muito exigente em todas as fases, e o nível aumenta.”
Jogabilidade5“É legal mas imita muito o Crash 3.”
7.9

#8Data: 15/10/2012 – Identificação: Bruno Rodrigues

Som8“Não estão como nos jogos anteriores, mas algumas músicas são legais.”
Gráficos7“Ruim, mas temos que olhar pro um outro ângulo, naquela épocas tinha acabado de lançar os videogames de 128 bits, ninguém conhecia todo seu potencial.”
Desafio9“Está menos difícil que Crash 2 e 3.”
Jogabilidade9“Simples, continua do mesmo jeito do Crash 3.”
8.3

#7Data: 11/08/2012 – Identificação: Leonardo Moreira

Som7“O som é ótimo, como em todos os jogos do Crash, mas as músicas não são muito criativas.”
Gráficos9“Perfeito. Parece que a imagem é em HD, mesmo em TV de tubo, mas tem muitas falhas.”
Desafio8“É muito difícil, portanto legal. Mas o difícil mesmo é pegar as relíquias, principalmente as de platina, pois têm fases nesse jogo que eu não consigo pegar nem as de safira!”
Jogabilidade6“Meia boca. Parece que nesse jogo o Crash fica mais lerdo e os gráficos atrapalham às vezes.”
7.5

#6Data: 13/07/2012 – Identificação: David Gomes

Som10“Realmente ficou incrível cada fase tem sua própria musica.”
Gráficos9“Gostei muito dos gráficos, mas Cortex ficou parecendo um E.T. amarelo!”
Desafio10“Fases bem difíceis principalmente as fases secretas.”
Jogabilidade10“Fácil de pegar o jeito e bem simples.”
9.8

#5Data: 26/06/2012 – Identificação: Bruno Zilli

Som10“Os sons estão bem feitos.”
Gráficos5.5“Parece que é um jogo de PS1!”
Desafio9.5“O desafio está na medida certa.”
Jogabilidade10“O jogo tem vários mini-games bem legais, e as fases da Coco estão ótimas.”
8.8

#4Data: 29/04/2012 – Identificação: Pedro Augusto

Som8“Os sons são ótimos, mas a música do título lembra muito Crash 3.”
Gráficos6“Os gráficos são meios estranhos, acho que em Crash 3 os gráficos eram melhores.”
Desafio7“O jogo não é muito desafiador, só tenho isso para falar.”
Jogabilidade8“Eu não gostei da jogabilidade pois parece muito com Crash 3.”
7.3

#3Data: 28/05/2011 – Identificação: Artur Scurciatto Sutto

Som10“Os sons são perfeitos, os que eu mais gosto são os efeitos sonoros.”
Gráficos10“O gráfico também está excelente.”
Desafio10“É muito fácil de jogar e controlar.”
Jogabilidade9.5“Precisa ser um pouquinho mais difícil.”
9.9

#2Data: 05/01/2009 – Identificação: Gustavo Henrique Oliveira Ferreira

Som9“Sons bons e legais.”
Gráficos8“São bonitos, mas são muito pobres,”
Desafio8“Não é muito difícil.”
Jogabilidade9“Simples e fiel aos comandos.”
8.5

#1Data: 15/01/2008 – Identificação: Caroline M. Goulart

Som9“Legaizinhos…”
Gráficos4“Horríveis, porém não deixa de ter um aspecto cômico, um detalhe é que o Crunch do ‘The Wrath of Cortex’ é bem feito,os Crunch dos outros jogos além de serem diferentes do legítimo não chegam aos pés dele…”
Desafio9“É praticamente o Crash 3: Warped (PSX). Não é difícil.”
Jogabilidade10“Não tenho muito o que comentar; é bem simples.”
8.0